Home Artigos Escalada pré-Magog com ataque aéreo mata 33 tropas turcas na Síria

Escalada pré-Magog com ataque aéreo mata 33 tropas turcas na Síria

autor: Últimos Acontecimentos

A Rússia negou que sua força aérea estacionada na Síria tenha participado de um ataque aéreo na noite de quinta-feira que matou pelo menos 33 soldados turcos em Behun, na província de Idlib, elevando o número de mortos para 54 soldados turcos este mês. Isso representa o maior número de mortes sofridas pela Turquia em um único dia desde que interveio pela primeira vez na Síria em 2016. 

“Trinta e três de nossos soldados foram martirizados como resultado do ataque aéreo … pelas forças do regime [Bashar al-] Assad”, disse Rahmi Dogan, governador da província turca de Hatay,  segundo o governo, financiado pelo Estado.

As represálias turcas mataram 16 soldados sírios.  

A Rússia alegou que estava em constante contato com a Turquia para garantir que nenhuma tropa turca não fosse alvo. Os militares russos disseram que não foram informados que as forças turcas estavam ativas no campo de batalha de Behun.

Os militares turcos reagiram com bombardeios de artilharia e ataques aéreos sobre alvos do governo sírio “todos conhecidos”, disse o diretor de comunicações turco Fahrettin Altun.

O Ministério da Defesa russo divulgou uma declaração de que os soldados turcos foram mortos em um “bombardeio” enquanto operavam ao lado de “rebeldes” na área de Behun, onde, segundo ele, combatentes da aliança Hayat Tahrir al-Sham (anteriormente a Frente Nusra) estavam atacando as Forças do governo sírio.

“Os terroristas estão usando mísseis americanos lançados no ombro, com apoio da Turquia, para atacar aviões de guerra sírios e russos, enquanto o regime turco apoia rebeldes com artilharia e mísseis lançados no ombro em batalhas no eixo Saraqib”, a Agência de Notícias Árabe da Síria (SANA) citou uma fonte militar na quinta-feira.

Este relatório também foi feito na mídia russa.

A Rússia rejeitou pedidos no Conselho de Segurança da ONU para um cessar-fogo humanitário no norte da Síria, dizendo que a única solução é expulsar o que chama de terroristas do país.

O Moscow Times informou que seus militares estão enviando dois navios de guerra equipados com mísseis Kalibr para o mar Mediterrâneo, em direção à costa síria. Uma terceira fragata russa está no Mediterrâneo desde dezembro de 2019.

O governo turco anunciou na sexta-feira que não impedirá mais os refugiados sírios de chegarem à Europa. 

O diretor de comunicações do presidente Recep Tayyip Erdoğan, Fahrettin Altun, acusou Assad de “realizar a limpeza étnica”.

“Essas pessoas tentarão fugir para a Turquia e a Europa. Já hospedando cerca de 4 milhões de refugiados, não temos capacidade e recursos para permitir a entrada para mais um milhão”, escreveu ele no Twitter.

Isso remonta a um acordo que a Turquia fez com a União Europeia em 2016. A União Europeia prometeu fornecer € 6 bilhões (US $ 6,6 bilhões) em ajuda à Turquia para abrigar refugiados sírios. Especialistas sugeriram que esse movimento da Turquia poderia atrair os países ocidentais para o conflito desde que as negociações entre a Rússia e a Turquia falharam.

O chefe da Otan, Jens Stoltenberg, anunciou planos para o Conselho do Atlântico Norte se reunir na sexta-feira sobre as últimas tensões em Idlib, a pedido da Turquia. Stoltenberg disse ao ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, que a Otan “condenou os contínuos ataques aéreos indiscriminados pelo regime sírio e seu apoiador Rússia na província de Idlib”.

Um porta-voz do departamento de estado dos EUA disse: “Apoiamos nosso aliado da Otan na Turquia e continuamos a pedir o fim imediato dessa ofensiva desprezível pelo regime de Assad, pela Rússia e pelas forças apoiadas pelo Irã. Estamos analisando opções de como podemos apoiar melhor a Turquia nesta crise ”

A Turquia tem apoiado o esforço rebelde para derrubar o regime do presidente sírio Bashar al Assad. A Rússia estabeleceu uma presença militar significativa na Síria para sustentar o regime. Idlib, no noroeste da Síria, é a última fortaleza dos rebeldes. 

A Turquia enviou milhares de soldados e equipamentos militares pesados ​​para a Síria e Erdogan alertou que a Turquia lançaria uma ofensiva em larga escala para repelir as forças sírias, a menos que se retirassem dos postos de observação turcos na região.

A Turquia é membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), com a segunda maior força militar da organização, depois da perseguição turca dos EUA pelos curdos, cujas milícias eles consideram terroristas, os colocou em desacordo com os EUA, que confiaram fortemente na assistência curda na luta contra o terrorismo islâmico na região. 

O expansionismo da Turquia poderia colocá-lo em conflito com Israel da mesma maneira que a presença militar iraniana na Síria.

O Profeta Ezequiel sugeriu à Rússia como líder na Guerra de Gogue e Magogue, mesmo que a Rússia não existisse nos tempos bíblicos.

Ó mortal, vire o rosto para Gogue, da terra de Magogue, o príncipe principal de Meseque e Tubal. Profetize contra ele. Ezequiel 38: 2

Neste versículo, a palavra hebraica para ‘chefe’ é רֹאשׁ (Rosh), que claramente indica ‘Rússia’.

Fonte: Breaking Israel News.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;…” Mateus 24:6

28 de fevereiro de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário