Home Grandes Sinais do Céu Um dos lugares mais frios da Terra registra uma onda de calor recorde

Um dos lugares mais frios da Terra registra uma onda de calor recorde

autor: Últimos Acontecimentos

Uma das regiões mais frias da Terra experimentou uma onda de calor sem precedentes nas últimas semanas, levando os cientistas a temer que incêndios devastadores e derretimento do permafrost possam ocorrer na Sibéria neste verão.

A temperatura em Játanga, uma cidade siberiana localizada no Círculo Polar Ártico, atingiu 29 graus Celsius nesta semana, bem acima da média histórica de 15 graus, segundo o portal Accuweather, enquanto todo o oeste da Sibéria registrou calor semelhante.

“É muito possível que este ano tenhamos outra catástrofe de incêndio na Sibéria” , prevê Anton Beneslavski, especialista em incêndios florestais do Greenpeace na Rússia, citado pela NBC News.

De acordo com a Berkeley Earth, organização sem fins lucrativos especializada em ciências climáticas, de janeiro a abril, as temperaturas médias da Rússia ficaram quase seis graus Celsius acima das normas históricas. “Essa não é apenas uma nova anomalia recorde para a Rússia. Essa é a maior anomalia entre janeiro e abril, vista na média nacional de qualquer país”, twittou Robert Rohde, cientista chefe da Berkeley Earth na semana passada.

Permafrost Hazard

Por sua parte, Thomas Smith, professor assistente de geografia ambiental na London School of Economics, alerta sobre o derretimento do permafrost que cobre grande parte da região do Ártico e que deve permanecer congelado durante todo o ano. Quando esse solo rico em carbono derrete devido ao aquecimento rápido, são emitidos gases de efeito estufa que aquecem o planeta, o que “pode ​​alimentar ainda mais as mudanças climáticas e o aquecimento global”, alerta o cientista.

O segundo problema, ele continua, é que, se a terra derreter “e secar a essas altas temperaturas”, é mais provável que o solo queime como combustível em um incêndio. Além disso, esses incêndios também liberam gases de efeito estufa e podem queimar por semanas ou meses, “mesmo quando chove”, diz Smith.

Enquanto isso, o calor incomum também interrompeu uma série de ciclos naturais, com a quebra do gelo do rio, flores e insetos prematuros, de acordo com o Siberian Times

Os devastadores incêndios florestais devastaram esta região russa no verão passado, levando o governo a mobilizar as Forças Armadas do país para combater o incêndio.

Fonte: RT.

“…e grandes sinais do céu.” Lucas 21:11

30 de maio de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário