Home Terremotos Idaho não parou de tremer desde o terremoto de 6 de março: o que causou e quando os tremores secundários vão parar?

Idaho não parou de tremer desde o terremoto de 6 de março: o que causou e quando os tremores secundários vão parar?

autor: Últimos Acontecimentos

Em 31 de março, a cordilheira Sawtooth, no centro de Idaho (EUA), foi abalada por um poderoso terremoto de magnitude 6,5, o segundo mais forte nas estatísticas estaduais depois de 1983, que registrou 6.9 graus.

Desde então, a região não parou de tremer, sofrendo 211 terremotos de magnitude 3,0 ou superior a partir de 24 de junho, de acordo com o US Geological Survey (USGS). 

A última sequência de tremores reacendeu o interesse dos cientistas nessa região geologicamente ativa, mas pouco estudada. 

O epicentro do terremoto inicial estava localizado a 26 quilômetros ao norte da falha Sawtooth, descoberto há quase uma década e para o qual não se sabia ao certo se estava ativo. Depois de estudar os tremores secundários – que geralmente ocorrem ao longo da mesma falha que causou o principal terremoto – alguns cientistas agora acreditam que a falha se estende mais para o norte do que se pensava antes do tremor, de acordo com o sismólogo da Universidade Estadual de Boise, Dylan Mikesell, citado pelo East Idaho News.

Outros pesquisadores, como Claudio Berti, diretor do Idaho Geological Survey, sugerem que a falha do dente de serra pode estar se expandindo para o norte, aproveitando as aberturas na crosta terrestre. 

Finalmente, outra teoria sugere que uma transferência de energia poderia ter sido registrada da falha Sawtooth para outra falha próxima, desconhecida até agora, causando a recente cadeia de terremotos.

Por enquanto, os geólogos continuam a coletar mais dados sobre a região, para que possam desenhar uma imagem mais clara do que está acontecendo abaixo da superfície. Além de coletar leituras sísmicas e analisar amostras de solo, eles usarão a tecnologia laser chamada LIDAR para procurar sinais de movimento na área.

Quanto aos tremores secundários, os geólogos indicam que é comum uma série de terremotos menores ocorrerem após um poderoso e que eles podem durar dias, semanas, meses e até anos após o tremor principal. “Os tremores secundários vão desacelerar nas próximas décadas, mas não desaparecerão completamente“, diz Mikesell.

Fonte: RT.

“…, e terremotos, em vários lugares.” Mateus 24:7

08 de julho de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário