Home Israel Azerbaijão: se Israel optar por não anexar, irá melhorar laços com os países muçulmanos

Azerbaijão: se Israel optar por não anexar, irá melhorar laços com os países muçulmanos

autor: Últimos Acontecimentos

Se Israel optar por não anexar o vale do Jordão e / ou partes da Cisjordânia, enviaria “uma mensagem de boa vontade” às ​​nações muçulmanas, disse o embaixador do Azerbaijão nos Estados Unidos Elin Suleymanov ao The Jerusalem Post.

Ele disse que “na situação atual em que Israel está desenvolvendo relações muito melhores com o mundo circundante, com as nações muçulmanas”, o movimento pode ser “prejudicial”.

O Azerbaijão é pioneiro, pois mantém relações bilaterais profundas com Israel há mais de 25 anos. Desde 1992, os países colaboram nas áreas diplomática, econômica, cultural e de segurança. O Azerbaijão continua sendo um dos poucos países de maioria muçulmana a reconhecer Israel completamente e normalizar as relações diplomáticas com o estado judeu. 

Um representante de alto nível se apresentou na conferência de políticas pró-Israel da AIPAC a cada ano nos últimos seis anos, disse o embaixador.

Suleymanov disse que o Azerbaijão não pode apoiar a anexação porque “contraria o direito internacional” e a crença do país em uma solução de dois estados para o conflito israelense-palestino. 

Suleymanov alertou que, se Israel optou por anexar “esse tipo de ação geralmente tem consequências”, possivelmente para o relacionamento de Israel com o Azerbaijão, e definitivamente nas Nações Unidas e com o mundo muçulmano em geral.

Lembre-se de que mais de 20% do território internacionalmente reconhecido do Azerbaijão – a região montanhosa de Nagorno-Karabakh, no oeste do Azerbaijão – é considerada ocupada pela Armênia desde 1994. O Conselho de Segurança da ONU reconheceu o direito do Azerbaijão a esse território com as Resoluções 822, 853, 874 e 884 

Suleymanov disse que, quando se reúne com outros líderes muçulmanos, eles freqüentemente perguntam sobre como as relações entre o Azerbaijão e Israel se desenvolveram e os benefícios desses laços. Embora ele não seja específico, ele disse que “as atitudes em relação a Israel na região estão melhorando e a trajetória é boa para Israel.

“Se você avaliar o valor das coisas: acho que os relacionamentos que se desenvolvem hoje têm muito mais valor do que talvez qualquer benefício da anexação, quaisquer que sejam.”

Como parte do plano de paz do “Acordo do Século” do presidente dos EUA, Donald Trump, que foi revelado em janeiro, Israel pode anexar 30% da Cisjordânia. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o primeiro-ministro suplente Benny Gantz incluíram em seu acordo de governo de unidade que o país tomaria medidas para anexar este ano, pouco depois de 1º de julho.

Fonte: The Jerusalém Post.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;…” Mateus 24:6

17 de julho de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário