Home Últimas Notícias Secretário-Geral da ONU inicia novo acordo global para uma ordem mundial mais justa

Secretário-Geral da ONU inicia novo acordo global para uma ordem mundial mais justa

autor: Últimos Acontecimentos

O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, apresentou uma iniciativa para combater a desigualdade – um novo acordo global que visa criar um modelo mais justo de governança global, disse Guterres no sábado em sua palestra em comemoração a Nelson Mandela.

“A pandemia do COVID-19 trouxe para casa a trágica desconexão entre o interesse próprio e o interesse comum; e as enormes lacunas nas estruturas de governança e estruturas éticas”, disse ele.

“Para fechar essas lacunas e tornar possível o novo contrato social, precisamos de um novo acordo global para garantir que poder, riqueza e oportunidades sejam compartilhados de maneira mais ampla e justa em nível internacional”, enfatizou Guterres.

Segundo o chefe da ONU, outro fator que as pessoas “tiveram o suficiente” é o movimento anti-racismo que se espalhou pelos Estados Unidos em todo o mundo após o assassinato de George Floyd.

“[Eles tiveram] o suficiente de desigualdade e discriminação que trata as pessoas como criminosas com base em sua cor de pele; o suficiente do racismo estrutural e da injustiça sistemática que negam às pessoas seus direitos humanos fundamentais”, continuou ele. “Esses movimentos apontam para duas das fontes históricas de desigualdade em nosso mundo: colonialismo e patriarcado”.

Nem todos no mesmo barco

O Secretário Geral da ONU apontou que o antigo modelo de contrato social parou de funcionar no mundo moderno.

“O COVID-19 foi comparado a um raio-x, revelando fraturas no esqueleto frágil das sociedades que construímos. Está expondo falácias e falsidades em todos os lugares: a mentira de que o livre mercado pode oferecer assistência médica a todos; a ficção que os cuidados não pagos trabalho não é trabalho; a ilusão de que vivemos em um mundo pós-racista; o mito de que todos estamos no mesmo barco”, listou Guterres.

“Porque enquanto todos flutuamos no mesmo mar, é claro que alguns estão em super-iates, enquanto outros estão agarrados aos detritos flutuantes”, enfatizou.

Na opinião de Guterres, “Um novo contrato social nas sociedades permitirá que os jovens vivam com dignidade; garantirá que as mulheres tenham as mesmas perspectivas e oportunidades que os homens; protegerá os doentes, os vulneráveis ​​e as minorias de todos os tipos”.

“O novo contrato social, entre governos, pessoas, sociedade civil, empresas e muito mais, deve integrar emprego, desenvolvimento sustentável e proteção social, com base na igualdade de direitos e oportunidades para todos”, explicou.

Novo acordo global

“A desigualdade começa no topo: nas instituições globais. O tratamento da desigualdade deve começar reformando-as”, sugeriu Guterres.

“Um novo modelo de governança global deve ser baseado na participação plena, inclusiva e igualitária nas instituições globais. Sem isso, enfrentamos desigualdades ainda maiores e lacunas na solidariedade – como as que vemos hoje na resposta global fragmentada à pandemia do COVID-19,” ele avisou.

“As nações que surgiram no topo há 70 anos se recusaram a contemplar as reformas necessárias para mudar as relações de poder nas instituições internacionais. A composição e os direitos de voto no Conselho de Segurança das Nações Unidas e nos conselhos do sistema Bretton Woods são um exemplo disso.”, afirmou o secretário-geral da ONU.

Ele disse com confiança que os países em desenvolvimento devem ter uma voz muito mais forte na tomada de decisões globais.

“Também precisamos de um sistema comercial multilateral mais inclusivo e equilibrado, que permita aos países em desenvolvimento subirem cadeias globais de valor”, afirmou Guterres.

O chefe das Nações Unidas planeja discutir sua nova iniciativa com todos os países na próxima 75ª sessão da Assembléia Geral da ONU, bem como em outras plataformas internacionais.

Fonte: Tass.

23 de julho de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário