Home Fomes Pandemia agrava a fome pelo mundo

Pandemia agrava a fome pelo mundo

autor: Últimos Acontecimentos

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) revelou que a pandemia do coronavírus exacerbou a insuficiência alimentar global, razão pela qual aumentou o número de pessoas que já sofriam de fome antes da emergência sanitária e que atingiu 690 milhões de cidadãos.

Isso é estabelecido pelo órgão em seu mais recente relatório, intitulado ‘Acompanhamento dos avanços nos indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionados à alimentação e agricultura para 2020’, no qual lembra que desde então No ano passado, presumia-se que o mundo não cumpriria a maioria das metas para 2030.

“A situação não mudou significativamente este ano, que marca a contagem regressiva de 10 anos para o prazo da Agenda 2030. De acordo com os últimos dados incluídos neste relatório, coletados antes da pandemia do coronavírus, progresso ainda são insuficientes na área de alimentos e agricultura, e o mundo não está no caminho para cumprir as metas relevantes”, afirmou.

Além disso, disse ele, a crise de saúde, econômica e social sem precedentes causada pela Covid-19 está ameaçando vidas e meios de subsistência, tornando ainda mais difícil atingir esses objetivos.

“As estimativas mais recentes de 2019 mostram que, antes da pandemia, cerca de 690 milhões de pessoas passavam fome, ou 8,9% da população mundial, um aumento de cerca de 10 milhões de pessoas em um ano e cerca de 60 milhões em cinco anos”, explicou.

Em nível global, acrescentou, a insegurança alimentar moderada ou grave aumentou entre 2015 e 2019 e atualmente estima-se que afete 25,9% da população mundial, o que significa cerca de 2 bilhões de pessoas.

Esta situação carrega um componente de gênero, uma vez que as mulheres são mais propensas do que os homens a sofrer de insegurança alimentar moderada ou grave.

Preços, gado, terra, água

Por outro lado, a produtividade e a renda dos pequenos produtores são sistematicamente mais baixas do que as dos grandes produtores de alimentos. “Durante a última década, os gastos públicos com a agricultura permaneceram praticamente os mesmos em relação à participação da agricultura no Produto Interno Bruto (PIB) global, que era notavelmente menor no início dos anos 2000”, disse ele.

De acordo com o relatório, a porcentagem de países com alta volatilidade geral dos preços dos alimentos diminuiu em 2017-18, mas mais de um quarto continuou a ser afetado por essa instabilidade.

Além disso, apenas uma parte (1,3%) das 7.600 raças de gado existentes aproximadamente no mundo possui material armazenado suficiente para permitir sua restauração em caso de extinção, o que é insuficiente dado que 73% da pecuária local avaliada corre o risco de desaparecer.

“Apesar do aumento relatado nos estoques globais de recursos fitogenéticos para alimentação e agricultura (PGRFA), de 4,21 milhões em 2005 para 5,43 milhões em 2019, os esforços para garantir a diversidade de culturas continuam insuficientes, especialmente no que diz respeito a espécies selvagens relacionadas com plantas cultivadas e espécies de culturas subutilizadas”, disse ele.

Fonte: RT.

“…e haverá fomes,” Mateus 24:7

16 de setembro de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário