Home Conhecendo mais sobre Conhecimento e inovação: 10 descobertas científicas mais importantes de 2020

Conhecimento e inovação: 10 descobertas científicas mais importantes de 2020

por Últimos Acontecimentos
323 Visualizações

O portal ScienceAlert publicou a lista das dez maravilhosas descobertas que os cientistas realizaram em 2020.

Os estudos científicos geralmente levam mais de um ano para serem produzidos, sendo assim, o portal escolheu as notícias científicas mais importantes de 2020.

Primeira proteína extraterrestre de um meteorito

No início desse ano, cientistas finalmente encontraram a primeira proteína extraterrestre, escondida dentro de um meteorito, chamado Acfer 086, que caiu na Terra há 30 anos.

“Temos quase a certeza de que as proteínas provavelmente existem no espaço”, disse o astrônomo Chenoa Tremblay. “Mas se pudermos realmente começar a encontrar evidências de sua existência, [e entender] o que são algumas das estruturas e o que as estruturas comuns podem ser, acho que isso é realmente interessante e emocionante.”

Impedimento de mudanças preocupantes na atmosfera

Um novo estudo revelou que o Protocolo de Montreal, acordo feito em 1987 para cessar a produção de substâncias que destroem a camada de ozônio, pode ser responsável por pausar ou reverter algumas mudanças preocupantes nas correntes de ar em torno do Hemisfério Sul do nosso planeta.

A cura da camada protetora de ozônio ao redor da Terra parece ter interrompido a migração de uma corrente de ar conhecida como Corrente de Jato do Sul, um fenômeno que acabou levando regiões da Austrália a uma seca prolongada.

“Se a camada de ozônio está recuperando e a circulação está se movendo para o norte, isso é uma boa notícia em duas frentes”, explicou o químico Ian Rae da Universidade de Melbourne, Austrália.

Inteligência artificial resolve desafio biológico de 50 anos

Cientistas da empresa de inteligência artificial (IA) DeepMind, no Reino Unido, anunciaram que um novo sistema de IA resolveu com sucesso um problema científico antigo em relação à estrutura e ao comportamento das proteínas.

Durante 50 anos, os pesquisadores tentaram prever como as proteínas alcançam sua estrutura tridimensional. O número gigante de configurações potenciais tornou essa tarefa, conhecida como o “problema do dobramento de proteínas”, muito difícil.

O sucesso do sistema de IA significa um enorme passo em direção a diferentes investigações, como a modelagem de doenças e a descoberta de medicamentos. Além disso, é possível aplicar esses dados para além de pesquisas na área da saúde.

Rajadas rápidas de rádio para encontrar matéria perdida do Universo

Uma aplicação de rastreamento de rajadas rápidas de rádio revelou aos astrônomos onde pode estar a matéria perdida do Universo.

O Universo é vasto e as extensões entre as galáxias são enormes, mas a matéria bariônica, que preenche uma pequena parte do mesmo, não foi detectada até agora. No entanto, em um espaço aparentemente vazio, átomos solitários ainda se encontram circulando.

Enquanto os cientistas procuraram a fonte de sinais interestelares das rajadas rápidas de rádio, foi descoberto que gases extremamente difusos podem ser os responsáveis por toda a matéria perdida do Universo.

Confirmada primeira detecção de rajadas rápidas de rádio em nossa galáxia

Em 28 de abril de 2020, um magnetar (estrela de nêutrons com alto valor de campo magnético) da Via Láctea chamado SGR 1935+2154 irrompeu em uma única explosão de milissegundo de forma tão incrivelmente brilhante que seria detectável de outra galáxia.

Esta detecção marcante promoveu um enorme impacto no estudo das misteriosas rajadas rápidas de rádio que até agora só tinham sido detectadas fora de nossa galáxia, tornando difícil a localização precisa de suas fontes.

Os cientistas passaram muito tempo trabalhando no acompanhamento desta detecção. Em novembro, confirmaram que a mesma rajada rápida de rádio se encontra em repetição.

SpaceX e NASA fazem primeiro lançamento tripulado

Em 30 de maio de 2020, a empresa norte-americana SpaceX, tornou-se a primeira empresa privada a enviar astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional (ISS).

Alguns meses depois, em novembro, foi realizado outro lançamento tripulado com sucesso, o qual enviou mais quatro astronautas à ISS.

NASA e JAXA tocam em asteroides e trazem amostras de volta à Terra

A espaçonave OSIRIS-REx da NASA finalmente pousou no asteroide Bennu em outubro, coletando amostras de sua superfície. As imagens deste acontecimento foram capturadas para a posteridade em imagens magníficas reveladas pela agência espacial. Espera-se que a sonda regresse em 2023.

Além de OSIRIS-REx, em dezembro, a sonda Hayabusa2 da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA, na sigla em inglês) retornou à Terra com amostras do asteroide Ryugu. A Hayabusa2 deixou o asteroide Ryugu, situado a cerca de 300 milhões de quilômetros de distância da Terra, cerca de um ano atrás.

Primeiro animal que não precisa de oxigênio para sobreviver

Os cientistas encontraram o primeiro organismo multicelular sem genoma mitocondrial, o que significa que o organismo não respira e vive sem necessidade de oxigênio.

Embora alguns organismos unicelulares possam viver em condições anaeróbicas, o fato desse parasita comum no peixe salmão e semelhante à água-viva da espécie Henneguya salminicola não precisar de oxigênio para sobreviver é bastante notável.

ísico cria matemática que possibilita viagem no tempo sem paradoxos

O estudante de física Germain Tobar, da Universidade de Queensland, Austrália, descobriu como “elevar números ao quadrado” para tornar possível a viagem no tempo sem paradoxos.

Seus cálculos mostram que o espaço-tempo pode potencialmente adaptar-se para evitar os mesmos. Segundo o supervisor de Tobar, a matemática confere.

Primeiras vacinas contra a COVID-19

O maior desafio que o mundo enfrentou este ano foi a pandemia global da COVID-19. Os pesquisadores de inúmeras áreas relevantes trabalham durante todo o ano para entender melhor o vírus SARS-CoV-2, também conhecido como coronavírus.

As primeiras vacinas destinadas para combater a doença já completaram todas as fases necessárias de ensaios clínicos, e começaram a ser aplicadas em diversos países.

Fonte: Sputnik.

30 de dezembro de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário