Home Guerras EUA enviam bombardeiros B-52 para Oriente Médio após anunciarem nova retirada de tropas

EUA enviam bombardeiros B-52 para Oriente Médio após anunciarem nova retirada de tropas

autor: Últimos Acontecimentos

Donald Trump fez a promessa eleitoral de pôr fim às “guerras intermináveis” e, em fevereiro, sua administração acordou com o Talibã a saída de tropas norte-americanas do Afeganistão.

O Comando Central dos EUA enviou bombardeiros B-52 para o Oriente Médio, fortalecendo a presença estratégica da sua Força Aérea na região como meio de “deter a agressão e tranquilizar os parceiros e aliados dos EUA”, anunciou o exército em um comunicado no sábado (22).

Greg Guillot, tenente-general e comandante da 9ª Força Aérea dos EUA, informou na declaração que a missão foi realizada por tripulações aéreas “em cima da hora”.

“A capacidade de deslocar rapidamente forças para o interior, para fora e ao redor do teatro de operações, a fim de apreender, reter e explorar a iniciativa, é fundamental para dissuadir uma possível agressão”, disse ele.

“Estas missões ajudam as tripulações de bombardeiros a se familiarizarem com o espaço aéreo e as funções de comando e controle da região, e permitem que elas se integrem com os recursos aéreos do teatro de operações americano e dos parceiros, aumentando a prontidão geral da força combinada”.

Esta missão coincidiu com a presença no sábado (22) de Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, em uma nova rodada de negociações de paz entre o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em muitos outros países) e o governo do Afeganistão, realizada no Qatar.

Na terça-feira (17), foi noticiado que Trump planeja retirar mais tropas norte-americanas da região até 15 de janeiro de 2021, reduzindo ainda mais o contingente presente no Afeganistão. No momento, o número de militares norte-americanos é de aproximadamente 3.000 no Iraque e 4.500 no Afeganistão.

Durante sua campanha presidencial de 2016, Trump fez a promessa de pôr fim às “guerras intermináveis” travadas pelos americanos no exterior, prometendo retirar ao menos parte das tropas americanas estacionadas no Iraque e no Afeganistão.

Trump fez um acordo com o Talibã afegão em fevereiro de 2020, iniciando logo em seguida a retirada das tropas dos EUA do território.

De acordo com a declaração do Pentágono, a última vez que os bombardeiros B-52 voaram para o Oriente Médio foi no início de 2020.

________________

Os bombardeiros americanos B-52 Stratofortress estavam a caminho do Oriente Médio no sábado, 21 de novembro. Sua missão: “Para deter a agressão e tranquilizar os aliados” – quatro dias depois de Washington anunciar a redução de tropas para 2.500 no Afeganistão e 2.500 no Iraque até 15 de janeiro do próximo ano.

Essa data é significativamente cinco dias antes da posse do próximo presidente dos EUA.

“A capacidade de mover rapidamente as forças para dentro, fora e ao redor do teatro de operações para apreender, reter e explorar a iniciativa é a chave para dissuadir uma potencial agressão”, disse o tenente-general Greg Guillot, comandante da Força Aérea quando o longo alcance, pesado B- 52 bombardeiros decolaram da Base Aérea de Minot, em Dakota do Norte.

O Comando Central acrescentou que a missão demonstrou a capacidade dos militares de “desdobrar o poder aéreo em qualquer lugar do mundo em curto prazo”. Os bombardeiros devem ser integrados a pelo menos quatro outros elementos de defesa nacional.

O tamanho da implantação do bombardeiro não é claro, assim como seu destino. Os B-52s foram implantados na região pela última vez em janeiro passado, depois que um ataque de drones dos EUA sobre Bagdá matou o chefe da Al Qods do Irã, Qassem Soleimani. Seis B-52s foram então implantados na base do Oceano Índico em Diego Garcia para enfrentar as ameaças de retaliação do Irã.

A Stratofortress fornece músculos para o que pode ser a última missão diplomática do governo Trump no Oriente Médio. Elliott Abrams, enviado especial dos EUA ao Irã, emitiu na sexta-feira um aviso direto ao “Irã e seus representantes” de que “eles lamentariam qualquer atividade militar ou terrorista que matasse americanos”. Ele falou enquanto acompanhava o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, naquela que poderia ser sua última viagem para estabelecer contato com os principais aliados americanos, Israel, Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

No sábado, Pompeo seguiu para Doha, no Catar, para impulsionar as negociações entre o governo afegão e o Taleban sobre suas questões pendentes e assim acelerar a retirada das tropas americanas de sua guerra mais longa.

Fonte: Sputnik.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;…” Mateus 24:6

22 de novembro de 2020.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário