Home Guerras Papel da Rússia no Oriente Médio em relação a Israel e EUA

Papel da Rússia no Oriente Médio em relação a Israel e EUA

por Últimos Acontecimentos
162 Visualizações

Com uma mudança de administração em Washington e com o aumento das tensões EUA-Rússia em nível global, o papel da Rússia no Oriente Médio pode se tornar um desafio estratégico e uma preocupação urgente para Israel e os Estados Unidos, em áreas sensíveis como Síria e Irã e nos domínios cibernético e tecnológico, argumenta um novo relatório.

De acordo com o relatório, escrito pelo Instituto Kennan do Woodrow Wilson Center e pelo Instituto de Política e Estado do IDC Herzliya, os Estados Unidos não são mais o hegemônico indiscutível no Oriente Médio, enquanto a Rússia é mais uma vez um ator militar e diplomático no região.

“Desde bem antes de 2015, quando interveio na guerra civil síria, a Rússia tem buscado saídas adicionais para sua influência militar e econômica no Oriente Médio”, diz. “A Rússia é agora um fator de destaque na Síria e na Líbia, um parceiro do Irã, um parceiro com ambições no Egito e um interlocutor com os estados do Golfo (especialmente Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita), Israel, o governo afegão, o Talibã , e os palestinos, entre muitas outras entidades políticas.”

De acordo com o relatório, “a Rússia joga vários lados uns contra os outros em países que vivenciam conflitos internos, usando esses conflitos como uma cunha para aprofundar sua influência regional”. Ainda assim, afirma, Moscou está longe de ser capaz de estabelecer uma ordem regional de sua própria concepção.

Até agora, a Rússia não desafiou fundamentalmente a cooperação dos EUA e de Israel na região, diz o relatório, “embora o escopo cada vez maior das atividades da Rússia certamente afete os interesses de Israel e dos Estados Unidos”.

Entre os contribuintes do relatório estão o Major-General. (Res.) Amos Gilead do IDC; Matthew Rojansky, diretor do Instituto Kennan; e o Embaixador Janes Jeffrey, que anteriormente atuou como Representante Especial para o Envolvimento na Síria e Enviado Especial para a Coalizão Global para Derrotar o ISIS.

“Para os Estados Unidos, a presença russa no Oriente Médio não é intolerável nos níveis atuais”, diz o texto. “Não vai necessariamente contra os interesses centrais dos EUA na região, mas complica a realização desses interesses e é prejudicial na medida em que a política russa é motivada pelo objetivo de limitar a influência dos EUA e prejudicar o prestígio dos EUA.”

Para Israel, no entanto, “a Rússia é um desafio de segurança nacional de alta prioridade”, observa o relatório. “A Rússia impõe um conjunto de preocupações operacionais e estratégicas decorrentes do potencial impedimento à liberdade de operações de Israel na Síria e das relações estratégicas e cooperação de Moscou com o Irã.

“O envolvimento com a Rússia permite conquistas de Israel na degradação das capacidades militares iranianas e no entrincheiramento na Síria, com interrupção limitada de suas operações pela Rússia”, disse o documento. “Israel precisa manter seu compromisso com a Rússia para garantir esses objetivos primordiais.”

O relatório também observa que a Rússia não criará uma barreira entre os Estados Unidos e Israel, mas, no entanto, “a probabilidade de uma grande competição de potências no Oriente Médio no futuro exigirá criatividade e consultas aprimoradas sobre o Oriente Médio mais amplo de Israel e dos Estados Unidos Estados.”

O relatório pede uma abordagem conjunta EUA-Israel que vincule a situação no Oriente Médio “com o papel crescente da Rússia e da China em todo o mundo”.

“Os Estados Unidos e Israel devem elevar a Rússia a uma prioridade estratégica em seu relacionamento bilateral e aumentar a consulta oficial e a coordenação para conter os desafios russos para ambos os países, no Oriente Médio e nos domínios cibernético e tecnológico”, afirma o documento.

 Também argumenta que os Estados Unidos e Israel poderiam considerar um papel especial para a Rússia na Síria “como um meio de trabalhar com Moscou para limitar a presença do Irã no país”.

Fonte: The Jerusalém Post.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;…” Mateus 24:6

06 de maio de 2021.

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário