Home Grandes Sinais do Céu Rio torna-se vermelho como sangue em Samaria

Rio torna-se vermelho como sangue em Samaria

autor: Últimos Acontecimentos

Wadi al-Nabaa, um rio adjacente à aldeia árabe de Qarawat Bani Zaid em Shomron (Samaria), ficou vermelho vivo e, embora a imagem fosse inegavelmente bíblica, um rabino atribuiu uma mensagem política moderna ao fenômeno. 

RIO EM SAMARIA FICA VERMELHO

De acordo com o jornal Al-Bayan, o conselho da aldeia de Qarawat Bani Zaid divulgou um esclarecimento ontem, em sua página do Facebook, dizendo: “O que aconteceu hoje de poluição ao meio ambiente é devido ao derramamento de tintas danificadas no vale, o que levou a uma mudança na cor da água para o vermelho.”

Apesar da explicação mundana oferecida pelas autoridades, muitos comentaristas de mídia social em língua árabe enfatizaram as conotações bíblicas, comparando-as a um “Rio de Sangue”. No Islã, existem cinco pragas, ou seja, inundações, gafanhotos, piolhos, sapos e transformação de água potável em sangue, enquanto na Bíblia há dez pragas, isto é, água em sangue, sapos, piolhos, animais selvagens, feridas de animais doentes, tempestades de fogo, gafanhotos, escuridão e morte do primogênito. De acordo com o Alcorão, as pragas foram trazidas por Moisés (Musa), um dos cinco profetas mais proeminentes do Islã. 

PRAGA DO EGITO

Rios ficando vermelhos, não importa a causa, são uma reminiscência da primeira praga que Deus enviou para atacar o Egito antes do Êxodo:

E o SENHOR disse a Moshe: ‘Diga a Aharon: Pega tua vara, e estende tua mão sobre as águas do Egito, sobre seus rios, sobre seus riachos, e sobre suas piscinas, e sobre todas as suas lagoas de água, para que eles pode se tornar sangue; e haverá sangue em toda a terra do Egito, tanto em vasos de madeira como em vasos de pedra. E Moshe e Aharon fizeram assim, como o SENHOR ordenou; e ele levantou a vara, e feriu as águas que estavam no rio, à vista de Faraó e à vista de seus servos; e todas as águas que havia no rio se tornaram em sangue. Êxodo 7:19-20

RABINO: LEMBRETE PARA COMPLETAR A CONQUISTA DA TERRA PROMETIDA

O rabino Yosef Dayan , ex-membro do Sinédrio e descendente direto do rei Davi, notou a diferença significativa entre o recente rio vermelho e o precedente bíblico.

“Os árabes em Israel não são em nada como os egípcios”, disse o rabino Dayan. “Os egípcios nos escravizaram, impedindo-nos de entrar em Israel. Os árabes em Israel estão tentando nos impedir de cumprir o mandamento de Deus de morarmos na terra. Os militares egípcios impediram fisicamente os Filhos de Israel de partir. Hoje, são os judeus, embora apenas alguns judeus, que estão nos impedindo de cumprir o mandamento de Deus.”

“As pragas no Egito foram um lembrete de que Deus iria cumprir sua parte da aliança e nos tirar do Egito”, disse o rabino Dayan. “Ele nos tirou do Egito para nos dar a Torá e para que vivêssemos na Terra Prometida; toda a terra prometida, completamente, exatamente como Deus ordenou. Quando Deus nos ordena que nos mantenhamos casher, ele não quer que nos mantenhamos principalmente casher.”

Na história da Bíblia, os mágicos do Faraó foram capazes de recriar o milagre criado por Arão e Moisés, mas não foram capazes de revertê-lo”, disse o Rabino Berger. “Essa era a sua maneira de dizer que eram tão poderosos quanto Deus. Eles estavam dispostos a aumentar seu próprio sofrimento para fazer essa declaração. O mesmo pode ser dito sobre esta encarnação da praga bíblica gerada pelos árabes modernos.” 

“De muitas maneiras, por meio de incêndios criminosos e como se relacionam com a natureza, os árabes mostram que não amam esta terra, a terra prometida, a terra de Deus”, disse o rabino Dayan. “Quem realmente pertence a esta terra nunca se relacionaria com a água, a mercadoria mais preciosa, derramando tinta em um rio que corre.”

AS PRAGAS RETORNAM NO FINAL DOS DIAS

Segundo a tradição judaica e com base em um verso em Miquéias, as dez pragas vai reaparecer antes do Messias. 

Mostrar-lhe-ei feitos maravilhosos, como nos dias em que saíste da terra do EgitoMiquéias 7:15

Fontes judaicas predizem que todas as pragas reaparecerão na Redenção final, mas em formas ainda mais poderosas. Está escrito no Midrash Tanchuma, ensinamentos homiléticos coletados por volta do século V, que “assim como Deus feriu os egípcios com dez pragas, Ele também atacará os inimigos do povo judeu na época da Redenção”.

Nahmanides, um proeminente estudioso da Torá do século 12 da Espanha, escreveu em seu comentário sobre as pragas que a razão principal de Deus punir os egípcios não foi por escravizar o povo israelita, mas por rejeitar Deus e sua influência em sua vida.

Esse conceito foi explicado pelo Rabino Bahya ben Asher, um comentarista espanhol do século 13, que escreveu: “No Egito, Deus usou apenas parte de Sua força. Quando a redenção final vier, Deus mostrará muito, muito mais do Seu poder.”

Fonte: Breaking Israel News.

“…e grandes sinais do céu.” Lucas 21:11

22 de fevereiro de 2021.

Postagens Relacionadas

Deixe um Comentário